quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Um coração grato!

Ontem, 8 graus em Campinas... frio... muito frio!
Toda vez que esfria muito, agradeço a Deus por ter uma casa para me proteger do frio, uma caminha confortável, edredom, cobertor e água quente para tomar banho. (ps: Sim, eu acredito em Deus e agradeço a Ele sempre por ter alguns privilégios que percebo que tenho quando esfria, ou quando encontro algum morador de rua). 

Quando eu encontro um morador de rua no inverno, meus olhos enchem de lágrima, porque essa pessoa não tem algumas coisas que eu tenho e que as vezes não dou valor. Acho fundamental que todos tenham um coração grato por ter esses privilégios... Não sei se eu conseguiria morar na rua, e passar por toda uma noite com um simples cobertor, exposta ao vento, à violência, à chuva e as baixas temperaturas que estamos tendo no inverno. Possivelmente eu seria uma das vítimas que morrem de frio... eu tenho  muito frio! Muito...


Uma vez, vi um morador de rua deitado no chão, com um cobertor, com os pés para fora do cobertor, e sem meia! Eu só não parei para dar as minhas meias pra ele porque eu estava com uma meia muito fina. Mas a cena e a situação me incomodaram muito, e eu fui embora triste...

Diante disso tudo, você entende como você tem privilégios, que muitos não tem? Temos tanto perto dessas pessoas que tem tão pouco, e mesmo assim, as vezes temos a ousadia de reclamar, de murmurar e de achar que deveríamos ter muito mais... O que deveríamos fazer mais é agradecer por essas bençãos que temos...

Você tem um coração grato por ter esses privilégios?

3 comentários:

Anna disse...

Temos mesmo que ser gratos pq é mto triste a situação dessas pessoas...
Outro dia o SBT fez uma reportagem especial sobre pessoas que vivem nas ruas. Tem cada história!
Me corta o coração ver cenas assim.
Bjoo

Ana disse...

É complicado mesmo né?
Acho péssimo me deparar com essa realidade e não poder fazer quase nada...

bjsss

mãe disse...

Está fazendo muito frio. Quem encontrar algum morador de rua perto do seu prédio/casa e quiser ajudar ligue para 156 . O número é mal divulgado, mas é de um serviço da Prefeitura que tenta levar essas pessoas para abrigos/albergues (eles não podem forçar, mas dão a opção).

Como cidadãos podemos acionar esse serviço.